Sem padarias, não há padeiros


Chiquinho: "é hora de todo mundo lutar pelo emprego"

O Sindicato dos Padeiros de São Paulo está agindo há vários anos pela manutenção e aumento das vagas de padeiros, confeiteiros e balconistas. Foi por isso que mobilizamos a categoria e os donos de padaria em uma reunião ampla em Osasco e Santo André. Em pauta: por um fim às padarias clandestinas, à fabricação ilegal de pães, à concorrência desleal dos supermercados e se buscar financiamentos para o setor.

Existem linhas de crédito disponíveis na CEF e Banco do Brasil, com recursos do FAT -   Fundo de Amparo ao Traba-lhador que disponibiliza até R$ 400 mil para reformas e ampliações de padarias, desde que gerem empregos.

Chegamos a uma etapa em que nossa participação tem que ir muito além das conversas e mobilizações entre a própria categoria profissional. Hoje, sabemos que temos que interferir no setor econômico da indústria da panificação se quisermos ampliar a oferta de empregos.

Sem padarias, não teremos nossos empregos. E, infelizmente, a indústria da panificação está sendo atacada por todos os lados. Qualquer um acha que pode fazer pão com água sem filtrar, com farinha de procedência duvidosa, em instalações precárias e sair vendendo o pão que o desemprego amassou por cinco centavos.

Estes ataques permanentes à base de sustentação econômica da indústria da panificação exigem de todos nós uma resposta organizada se não quisermos ser empurrados para a falência, para a clandestinidade, e para o fim da capacidade de gerar empregos que a indústria de panificação historicamente teve em São Paulo e no Brasil.

O objetivo do movimento que começamos em Osasco e Santo André já realizamos reunião em Osasco, convocada pelo nosso Sindicato, e que contou com a presença de representantes da prefeitura, do Ministério do Trabalho, do sindicato patronal, de trabalhadores e donos de padaria. E estamos ampliando para outras regiões de São Paulo e Grande São Paulo é organizar o setor econômico da panificação, buscar financiamentos junto ao BNDES, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil para reformar as padarias e criar uma campanha ampla no combate às padarias clandestinas.

Estamos criando, também, uma frente parlamentar que defenda nossos interesses na Assembléia Legislativa e na Congresso Federal.

O que nos interessa, enquanto sindicato dos trabalhadores, é a ampliação do emprego. Ou a gente se mobiliza hoje, sem ter medo de estar ao lado dos patrões que ainda estão na legalidade, ou amanhã não haverá mais padarias e muito menos nossos empregos.

Chiquinho Pereira
presidente do Sindicato dos Padeiros de São Paulo e da Força Sindical São Paulo

Assembléia da Panco analisa ACT


Trabalhadores da Panco em assembléia. À direita Chiquinho fala aos trabalhadores.

Em assembléia realizada no dia 28 de fevereiro, os trabalhadores da Panco receberam do Sindicato informações atualizadas sobre o acordo coletivo de trabalho (ACT). A assembléia foi realizada na Associação dos Amigos do Burgo Paulista, um salão próximo a empresa.

A atualização do acordo coletivo foi bem recebida pelos trabalhadores presentes. O acordo foi firmado em novembro do ano passado.

Uma pequena festa de confraternização foi realizada para selar a união dos trabalhadores. "Essa união é de suma importância, só com ela podemos realizar e conquistar mais benefício para os trabalhadores", explicou Chiquinho Pereira, presidente do Sindicato.

CIPA

Os trabalhadores da Panco escolheram nos dias 23 e 26 de fevereiro a sua CIPA. Foram eleitos os membros titulares e suplentes da CIPA da fábrica e da mecânica. O Sindicato está trabalhando para orientar os cipeiros sobre sua atividade. Confira que são os novos cipeiros e quantos votos cada um obteve na eleição.

CIPA Fábrica

Resultado / Nome / Votos

1º Ozéas Pessoa da Silva    

2º Rogério Castanho Nascimento

3º Maria Salvelina

4º Maria José Florêncio de Lira

5º Dorival Conradi

6º João Junior

7º Maria de Lurdes Maciel

8º Claudiano Alves de Araújo

9º Alcélio José de Oliveira

10º Vera Lúcia Leite da Silva

11º Célia Costa dos Reis

106

100

59

28

27

25

19

17

17

16

15

CIPA Mecânica

Resultado / Nome / Votos

1º José Ricardo A. Barreto

2º Roni Kendi Inokuti

3º Luiz Antonio Sanches

4º Akira Taniyama

20

19

18

16


Empréstimo em folha

O empréstimo em consignação, criado pelo governo para dar acesso aos trabalhadores ao crédito com juros baixos, está sofrendo algumas dificuldades para estar a disposição da nossa categoria. As dificuldades estão por conta das empresas e dos bancos.

O problema é que os bancos estão alegando crescentes dificuldades em atender os trabalhadores de pequenas e micro-empresas, caso típico do setor de panificação. Além disso, muitas padarias estão impossibilitadas de operar os empréstimos devido a problemas de cadastro e déditos em aberto.

Estamos trabalhando para equacionar da melhor forma os problemas e possibilitar que os trabalhadores tenham acesso ao empréstimo. Para maiores informações (trabalhadores e empresas) entre em contato com o Sindicato (11) 3242-2355 ramal 221.Uma tabela foi divulgada pelo BMG, banco que fechou o acordo com o Sindicato, sobre a quantia que cada trabalhador pode pegar de empréstimo de acordo com o tempo de serviço na empresa:

Até seis (6) meses não pode contrair empréstimo.

De seis (6) meses ate nove (9) meses - 1/2 salário.

De nove (9) nove meses até   um (1) ano - 1 salário.

De um (1) ano ate   dois (2) anos - até 2 salários.

Acima de dois (2) anos -   até 3 salários.